Alterações da pele na gravidez

Autor: Vera Ribeiro da Silva, Encarnación Paleo

Última atualização: 2016/04/18

Palavras-chave: Dermatologia, Gravidez, Hiperpigmentação, Pele



Resumo


A gravidez caracteriza-se por intensas modificações no organismo da mulher. A pele é um dos órgãos especialmente sensível às alterações hormonais e mecânicas que ocorrem durante este período. Apesar da exuberância de algumas alterações, na maior parte dos casos, trata-se de alterações fisiológicas, ou seja, que não constituem doença.
Nestes casos é importante não iniciar tratamento porque a maioria desaparece espontaneamente após o parto.
Um estilo de vida saudável, através de uma alimentação adequada, prática de exercício físico e hidratação oral e tópica, é a melhor forma de prevenir o seu aparecimento. Sendo a gravidez uma fase muito específica, a generalidade dos fármacos não foram testados nesta fase e, não podem ser considerados seguros. Mesmo os cremes utilizados devem ser indicados para grávidas.

Alterações da pele na gravidez


A gravidez é um período de intensas modificações a nível físico e emocional. Durante este período ocorrem no organismo da grávida inúmeras alterações a vários níveis (hormonal, imunológico, metabólico e vascular) que influenciam os diversos órgãos.
A pele, como maior órgão do corpo humano, sofre também alterações durante esta fase. Estas alterações são extremamente frequentes, estão presentes em cerca de 90% das mulheres. Sabe-se que durante a gravidez, há um aumento exuberante dos níveis de várias hormonas (como o estrogénio e a progesterona). Este aumento e a distensão que ocorre na pele são considerados os principais causadores das alterações cutâneas.
É possível dividir as alterações da pele durante a gravidez em três grandes grupos:

Pregnancy-1000417 1920.jpg
  • alterações fisiológicas da gravidez
que ocorrem durante a gravidez mas que não constituem doença
  • dermatoses afetadas pela gravidez
doenças da pele que estão presentes antes da gravidez e que podem melhorar ou piorar durante este período
  • dermatoses específicas da gravidez
doenças da pele que aparecem durante a gravidez e que lhe estão associadas

As alterações fisiológicas da gravidez são as mais frequentes e, apesar de não constituírem doença, podem apresentar um grande impacto a nível emocional e físico, na vida da mulher grávida, sendo importante compreendê-las e preveni-las sempre que possível.

Alterações da cor da pele


As alterações da coloração da pele são extremamente frequentes, afetando até 90% das grávidas. Estas aparecem precocemente (no 1º trimestre de gravidez) e tendem a desaparecer no período pós-parto.

Linha nigra

Durante a gravidez, há uma acentuação generalizada da coloração da pele, sendo mais marcada a nível dos mamilos e aréolas mamárias, axilas, genitais externos, região perineal, ânus e face interna das coxas. Ao nível do abdómen é comum o aparecimento de uma linha escura vertical no centro da barriga a que damos o nome de linha nigra, que também desaparece no pós-parto.

Cloasma

Outra alteração da pigmentação que ocorre em cerca de 75% das gestações é o cloasma, também conhecido por máscara da grávida. Este consiste em manchas escuras que aparecem na face, podendo ter várias distribuições. Aparece durante o 2º trimestre e, na maioria dos casos, desaparece completamente até um ano após o parto. Em alguns casos, estas manchas não desaparecem e tornam-se persistentes. Assim, é muito importante prevenir o seu aparecimento, evitando a exposição solar e utilizando um protetor solar diariamente, com fator de proteção elevado. Não deve ser realizado tratamento durante a gravidez nem durante a amamentação.

Hirsutismo


Hirsutismo é o crescimento excessivo dos pelos em localizações tipicamente masculinas e ocorre frequentemente na gravidez. Esta situação deve-se ao aumento do crescimento dos pelos, principalmente na segunda metade da gravidez, e à diminuição da sua queda. Após o parto (principalmente entre o 1º e o 5º meses), ocorre o eflúvio telógeno, que consiste no aumento acentuado da queda dos pelos. Esta fase pode prolongar-se até um ano após o parto e deve-se essencialmente ao stress do parto e às alterações hormonais do pós-parto.

Varizes


Ao nível dos vasos sanguíneos também existem várias alterações.

Varizes

As varizes (dilatações das veias) e o edema periférico (inchaço das extremidades, sobretudo pernas e pés) são duas alterações frequentes e que preocupam a maioria das grávidas. As varizes surgem a partir do 3º mês de gravidez e são causadas por vários fatores. São mais comuns ao nível das pernas e região anal (hemorroidas) e tendem a regredir no período pós-parto. Uma vez que em alguns casos não regridem, podendo tornar-se crónicas e persistentes, é muito importante prevenir o seu aparecimento com uso de meia elástica, repouso com elevação dos membros inferiores ou em posição lateral e evitar períodos prolongados em pé.

Estrias


As estrias, também conhecidas por Striae gravidarum, afetam 70 a 90% das grávidas, especialmente a partir da 24ª semana de gestação. São mais frequentes ao nível do abdómen, região mamária, dorso e coxas. Normalmente não desaparecem após o parto, mas podem melhorar passando a um aspeto branco-nacarado mais ténue. Nestas situações prevenir é o melhor tratamento. É importante uma hidratação adequada da pele, através da ingestão de água e da aplicação de cremes hidratantes.

Que cuidados devo ter?


Durante a gravidez, os cuidados habituais com a pele devem ser reforçados, associados a um estilo de vida saudável:

  • Evitar e proteger-se da exposição solar (protetor solar com fator de proteção 50+);
  • Controlar o aumento de peso;
  • Manter uma alimentação equilibrada e praticar exercício físico;
  • Reforçar a hidratação oral
    • Ingerir líquidos durante a gravidez e após o parto
    • Na quantidade de cerca de 2 L/dia
  • Reforçar a hidratação da pele
    • Aplicar creme hidratante após o banho e várias vezes ao dia
    • Preferir cremes em lugar de loções
    • Verificar rótulos de cremes e informar-se sobre a segurança na gravidez, preferir linhas indicadas para grávidas
    • Evitar banhos muito quentes e prolongados
    • Evitar ambientes com temperaturas extremas
  • Não devem realizar tratamentos dermatológicos durante a gravidez sem indicação médica.


Conclusão


A maioria das alterações cutâneas que ocorrem durante a gravidez não são doenças e desaparecem espontaneamente. É importante manter um estilo de vida saudável associado a hidratação e protecção solar.

Referências recomendadas



Alt text

Banner.jpg