Ativo… Sem Sair da Cadeira

Autor: Ana Filipa Franco Ladislau Ferreira; Ana Isabel Sousa Oliveira; Ana Margarida Esteves Cardoso; Betina Raquel Oliveira da Rocha; Elsa Melanie dos Santos Nhaguilunguane; Graça Filipa Varandas Rodrigues; José Pedro Moreira de Carvalho; Maria Inês Bastos Rodrigues; Patrícia Alina Pinto Gomes; Patrícia de Sousa Fernandes; Ricardo João Dias de Freitas; Rita Isabel Lino Barros

Última atualização: 2017/12/08

Palavras-chave: Envelhecimento; Envelhecimento Ativo; Envelhecimento Saudável; Exercício físico; Qualidade de vida



Resumo


A população portuguesa encontra-se cada vez mais envelhecida.
Este envelhecimento levanta muitas questões:

  • Como podemos ajudar as pessoas na manutenção da sua independência e estado ativo à medida que envelhecem?
  • Como podemos melhorar a qualidade de vida com o aumento da esperança de vida?

As respostas não estão preparadas e necessitam de ser constantemente consideradas em cada momento e em cada contexto para um verdadeiro envelhecimento ativo.




Processo de envelhecimento


Segundo a Organização Mundial de Saúde, a proporção de pessoas idosas está a aumentar em todo o mundo e Portugal não é exceção. A esse processo de envelhecimento, associado ao desgaste maioritariamente físico com o tempo, a partir da idade adulta, está associada uma perda na funcionalidade, acompanhada em muitos casos de deterioração da qualidade de vida.

Evolução idosos pt.jpg

O envelhecimento inevitável da população levanta muitas questões:

  • Como podemos ajudar as pessoas na manutenção da sua independência e estado ativo à medida que envelhecem?
  • Como fortalecer as políticas de prevenção e promoção da saúde, em especial na população mais idosa?
  • Como podemos promover a qualidade de vida para os que vão chegar a idades mais avançadas?

Torna-se necessária a estruturação de programas de intervenção na promoção do “envelhecimento ativo”: se o envelhecimento deve ser uma fase positiva, então teremos de criar oportunidades contínuas em termos de saúde, participação e segurança para acompanhar uma vida prolongada.

O que é o Envelhecimento Ativo?


Flyer elderly.jpg

O envelhecimento ativo é definido pela OMS como o processo de optimização das oportunidades ao nível da saúde, participação e segurança, de forma a melhorar a qualidade de vida das pessoas que envelhecem.
As políticas de envelhecimento ativo reconhecem a necessidade de encorajar e equilibrar a responsabilidade pessoal, ambientes favoráveis ao envelhecimento e solidariedade intergeracional. Os indivíduos e famílias precisam de planificar e preparar para as idades avançadas, através do esforço pessoal e adoção de práticas pessoais positivas (ao nível da saúde) em todas as fases da vida.
O envelhecimento ativo engloba intervenções a vários níveis:

  • Determinantes pessoais
  • Determinantes económicos
  • Determinantes sociais
  • Determinantes comportamentais
  • Ambiente físico
  • Serviços sociais e de saúde



Determinantes comportamentais


O envelhecimento acarreta uma diminuição das capacidades físicas, como a perda de mobilidade, menor agilidade de movimentos e diminuição da força muscular.
Esta fragilidade pode ser prevenida se for corretamente preparada ao longo dos anos, com uma vida fisicamente ativa, e com uma atitude positiva quando a idade já pesa, com práticas pessoais adaptadas às possibilidades de cada um.
Mesmo quando a mobilidade está muito reduzida, com dificuldade real em sair da cadeira, é possível manter-se fisicamente ativo, com impacto significativo na qualidade de vida. Não é necessário ter um treinador pessoal para se manter ativo. Muito pode ser feito de forma autónoma.
Basta saber como e ter motivação!


Ativo Sem Sair da Cadeira


Um conjunto de exercícios que podem ser realizados de forma independente por pessoas de qualquer idade, mesmo as idades mais avançadas e com capacidades reduzidas.
São exercícios desenhados para serem realizados em posição sentada, de forma a permitir um melhor acesso por parte dos idosos com menor mobilidade.

Panfleto exercicios.png

Conclusão


A maioria da população idosa continua a ser uma fonte vital para as suas famílias e comunidades em todo o lado e a todos os níveis.
Assim, propõe-se um conjunto de exercícios simples com impacto positivo na manutenção da capacidade física, permitindo manter níveis de funcionalidade e, com isso, de qualidade de vida nas pessoas idosas.

Referencias recomendadas



Alt text

Banner.jpg