Cancro do Estômago

Autor: Vânia Gomes, Sara Domingues

Última atualização: 2016/07/28

Palavras-chave: Neoplasia do estômago; Fatores de risco; Deteção precoce do cancro; Endoscopia digestiva; Prevenção



Resumo


O cancro do estômago é um tumor maligno frequente em Portugal. Atinge mais os homens e tende a surgir após os 50 anos de idade. Está associado a vários outros fatores de risco, nomeadamente ao consumo de alimentos fumados e salgados, ao tabagismo e à infeção pela bactéria Helicobacter pylori.
Habitualmente, o cancro do estômago não provoca sintomas na fase inicial, o que conduz a um diagnóstico tardio da doença.
É assim, importante apostar na sua prevenção, praticando um estilo de vida saudável.
Em caso de suspeita deste cancro deve dirigir-se precocemente ao seu médico assistente.




Cancro do estômago


O cancro do estômago, também designado de cancro gástrico, é um tumor maligno que se desenvolve habitualmente na camada interior do estômago. Existem vários tipos, mas o mais comum, responsável por 95% dos casos, é o adenocarcinoma.

Qual a importância em Portugal?


Offal-1463369 640.png

Em 2010, o cancro do estômago foi o 5º cancro mais frequente em Portugal, tendo sido diagnosticados 18,9 casos por cada 100.000 habitantes. As regiões do norte e do interior do país foram as mais afetadas.
Apesar de se verificar uma diminuição do número de casos nos últimos anos, o cancro do estômago é ainda o 3º mais mortal, com 13,1 mortes /100.000 habitantes, em 2014, em Portugal.

Quais são os fatores de risco?


Os principais fatores de risco associados ao desenvolvimento de cancro do estômago são os seguintes:

  • Sexo masculino - tem uma incidência duas vezes superior nos homens em relação às mulheres;
  • Idade - é mais comum em pessoas com mais de 50 anos;
  • Etnia - é mais comum nas pessoas de etnia negra do que nos caucasianos;
  • Hábitos alimentares - ter uma alimentação rica em alimentos salgados e fumados e pobre em vegetais e fruta;
  • Tabagismo - apresenta uma incidência duas vezes superior nos fumadores;
  • Antecedentes familiares - ter um parente de primeiro grau (pai, mãe ou irmãos) que tiveram cancro do estômago;
  • Infeção por Helicobacter pylori (também causa inflamação, isto é, gastrite e úlceras no estômago);
  • Alterações inflamatórias da parede do estômago (Metaplasia intestinal, Gastrite atrófica e Pólipos do estômago).



Quais são os sintomas?


O cancro do estômago, na sua fase inicial, pode não provocar sintomas. Quando estes surgem podem ser muito vagos e inespecíficos e podem estar associados a outras doenças. Este é um dos motivos pelo qual é difícil diagnosticar o cancro do estômago precocemente.

Sintomas iniciais de cancro do estômago
  • Indigestão ou desconforto na região do estômago;
  • Enfartamento depois de comer;
  • Náusea ligeira;
  • Perda de apetite;
  • Sensação de queimadura (azia).
Digestive anatomy.png
Sintomas avançados de cancro do estômago
  • Sangue nas fezes;
  • Vómitos;
  • Perda de peso sem motivo aparente;
  • Dor abdominal na região do estômago;
  • Acumulação de líquido na cavidade abdominal (ascite);
  • Dificuldade em engolir



O que fazer?


O facto de ter um ou mais sintomas aqui descritos não significa que tenha cancro do estômago. Mas, se apresenta um ou mais destes sintomas e não melhorou ao longo do tempo ou até piorou, deve recorrer ao seu médico assistente para esclarecimento do diagnóstico e orientação adequada.
A endoscopia digestiva alta é um exame fundamental. Consiste na introdução de um tubo através da boca para observação do esófago e do estômago. Quando se observam alterações suspeitas neste exame efetuam-se biópsias para uma análise mais pormenorizada.
Em Portugal, bem como no mundo ocidental, não existem recomendações para um rastreio populacional do cancro do estômago, o que obriga a uma maior atenção aos sintomas quando existam.

Como prevenir?


Mais vale prevenir do que remediar!

Poderá diminuir o risco de cancro do estômago, se:

  • Diminuir o consumo de alimentos salgados e fumados;
  • Privilegiar o consumo de vegetais e fruta;
  • Praticar exercício físico regularmente;
  • Controlar o peso corporal;
  • Deixar de fumar.



Conclusão


O cancro do estômago é uma doença potencialmente curável se diagnosticada precocemente. Se apresentar sintomas sugestivos desta doença consulte o seu médico atempadamente para um diagnóstico e uma orientação precoces.

Referências Recomendadas






Alt text




Banner.jpg