Resistência Bacteriana - A Epidemia do século XXI

Autor: Adriana Ferreira, Ana Cristina Campos, Ana Sofia Vieira, Ana Teresa Alves, Daniel Barbosa, Diana Guedes, Eliane Jaconiano, Flávio Ribeiro, Francisco Henriques, Henrique Cardoso, Inês Graça, João Pedro Silva, Juliana Garcia, Maria Leonor Aguiar, Rita Nunes, Rita Ribeiro, Rui Leitão, Sara Bettencourt Ramos, Sara Andreia Marques, Sofia Pinho

Última atualização: 2016/12/05

Palavras-chave: Antibiótico, Bactéria, Prevenção, Resistência Bacteriana



Resumo


Os antibióticos são substâncias que têm como objetivo impedir que as bactérias prejudiciais à nossa saúde se desenvolvam no nosso organismo, atuando de forma a impedir a sua multiplicação, matando-as ou enfraquecendo-as.
Desde a sua descoberta nos anos 40 do século passado, quer como consequência da toma indevida de antibióticos, quer como consequência do uso exagerado destes na agricultura e na pecuária, tem-se verificado um aumento da resistência das bactérias a estes medicamentos, surgindo o conceito de resistência bacteriana aos antibióticos.
Uma vez impossibilitada a destruição das bactérias, o tratamento de infeções bacterianas poder-se-á agravar nos próximos anos, havendo uma previsão para 2050 que afirma que a resistência bacteriana aos antibióticos poderá vir a ser responsável por cerca de dez milhões de mortes anuais.




Microrganismos e a Saúde


Mycobacterium tuberculosis.jpg

Na água, nos solos, nos alimentos, nos objetos do quotidiano e até mesmo no nosso organismo, existem microrganismos invisíveis a olho nu – bactérias, vírus e fungos. Apesar de alguns serem benéficos para a nossa saúde (como por exemplo, as bactérias presentes na flora intestinal, que nos ajudam a digerir alguns alimentos que ingerimos, como as fibras), parte destes organismos são prejudiciais e podem dar origem a infeções de gravidade variável.

O Que é um Antibiótico? Como atua?


Medical-pills.jpg

Antibiótico (ou antibacteriano) é o termo usado quando nos referirmos a uma substância capaz de destruir ou impedir a multiplicação das bactérias, sem implicar toxicidade significativa para o organismo humano.
Servem exclusivamente para combater infeções bacterianas. Nas infeções víricas não têm qualquer eficácia, não devendo ser usados como primeira opção em casos de gripes, constipações, tosse, febre ou dores de cabeça ou musculares.

Qual o perigo da toma inadequada de antibióticos?


Uma das principais consequências da toma incorreta de antibióticos é o desenvolvimento de resistências. Pode haver falhas nos tratamentos por:

  • Incumprimento da duração do tratamento
  • Incumprimento da posologia (dose e frequência)
  • Utilização sem necessidade.

Em consequência, algumas das bactérias conseguem modificar-se originando novas estirpes de bactérias que sobrevivem à ação dos antibióticos, aparecendo assim as resistências.

O que é a Resistência Bacteriana aos Antibióticos?


A resistência bacteriana aos antibióticos é um processo natural que resulta da capacidade evolutiva das bactérias em desenvolver mecanismos que lhes permitam sobreviver à ação dos antibióticos. Contudo, o uso incorreto destes medicamentos tem vindo a acelerar este processo, ameaçando cada vez mais a eficácia dos tratamentos disponíveis. As bactérias vão-se modificando e adaptando, podendo originar superbactérias ou bactérias multi-resistentes, o que dificulta a terapia, uma vez que não existem antibióticos no mercado capazes de as destruir. O combate às infeções torna-se muito mais difícil e as doenças potencialmente mais graves.

Uso de Antibióticos na Agricultura e Pecuária


Fruta modificada.jpeg

Atualmente, assiste-se ao uso crescente de antibióticos em plantas e animais. Na pecuária, estes são administrados com o objetivo de prevenir e tratar infeções nos animais, assim como para promover o seu rápido crescimento. Estando a nossa saúde relacionada com o que comemos, o consumo de carnes e vegetais tratados com antibióticos influencia-nos diretamente por três processos distintos:

  • Desenvolvimento de bactérias resistentes no animal que, pelo consumo, alcançam o nosso organismo;
  • Absorção, por ingestão de alimentos contaminados, de parte dos antibióticos utilizados na agricultura e pecuária, que desencadeiam resistência bacteriana no ser humano;
  • Quando utilizados em plantas e animais, parte dos antibióticos tende a perder-se na atmosfera e a depositar-se nos solos ou na água, acabando por chegar indiretamente ao ser humano.



Qual o impacto real da resistência a antibióticos?


O crescente aparecimento de bactérias multirresistentes levou a Organização Mundial de Saúde (OMS) a considerar a resistência bacteriana como um problema crítico de saúde pública global. Além de constituir um enorme encargo financeiro para os serviços de saúde, a resistência a antibióticos traduz-se em repercussões negativas para a saúde em geral, no sentido em que, não havendo forma eficaz de combater as superbactérias, as infeções tendem a ser mais graves e eventualmente fatais.

O que fazer para que os antibióticos não percam a eficácia?


Lavagem maos.jpg

O primeiro passo é adotar comportamentos no sentido de prevenir infeções:

  • Lavar corretamente as mãos;
  • Minimizar o contacto com pessoas doentes;
  • Lavar os alimentos corretamente;
  • Cozinhar bem os alimentos e altas temperaturas antes de os consumir.
  • Usar diferentes utensílios aquando do manuseamento de carnes e de vegetais, para evitar transferência de bactérias entre alimentos;



Ao nível da utilização de antibióticos, existem outros comportamentos que são muito importantes:

Doctor-563428 1920.jpg
  • Não se automedicar;
  • Sentir-se à vontade para questionar o médico sobre a verdadeira necessidade de tomar antibiótico;
  • Respeitar a prescrição médica, isto é, tomar o medicamento de acordo com o horário e a duração definida pelo médico;
  • Não suspender a toma do antibiótico antes do período indicado pelo médico;
  • Não combinar outros fármacos com o antibiótico sem aconselhamento médico;
  • Não ingerir alimentos que possam interferir com os antibióticos (como as bebidas alcoólicas, entre outros);
  • Informar-se acerca da origem dos produtos alimentares que consome, nomeadamente ao nível da utilização de antibióticos na sua produção.



Conclusão


A resistência aos antibióticos constitui um problema crítico de saúde pública. É urgente unir esforços a nível individual e coletivo, na saúde e na agropecuária, com vista a mantermos, e até aumentarmos, a disponibilidade de medicamentos antimicrobianos eficazes no futuro.


Referências Recomendadas



Alt text

Banner.jpg